Museu Nacional dos Coches

Exposições


Apontamento Museográfico- Tributo a Dona Amélia

No passado dia 28 de setembro, data de aniversário da rainha Dona Amélia e do rei D. Carlos, foi apresentado ao público um pequeno apontamento museográfico que visa homenagear a “nossa” Rainha. Grande Senhora, a quem se deve a criação do Museu Nacional dos Coches, em 1905 (então chamado “Museu dos Coches Reais”), a sua maior obra cultural, cuja riqueza histórica e artística continua a constituir um motivo de visita obrigatória.

 

Neste núcleo museológico, localizado na Sala de Exposições Temporárias do Novo Edifício do MNC, os visitantes podem apreciar:

 

Retrato da Rainha Dona Amélia de Orleães e Bragança – século XX (1905)
Óleo sobre tela, datado e assinado: Vitor Corcos. D. Amélia de Orleães, filha dos Condes de Paris, casou com o rei D. Carlos I.

 

Vitória – século XIX. Trabalho inglês
Viatura para pequenas deslocações para uso de jovens e senhoras. Pertenceu à rainha D. Amélia de Orleães e Bragança tendo sido adquirida em 1983 pelo museu a D. José de Siqueira (S. Martinho).

 

Landau do Regicídio – século XIX-XX – trabalho português
Viatura de passeio, está associada a um episodio trágico da História de Portugal porque nela seguia a Família Real, quando, no Terreiro do Paço em Lisboa, a 1 de Fevereiro de 1908, sofreu um atentado que matou o Rei D. Carlos I e o Príncipe herdeiro, D. Luís Filipe. São visíveis as marcas das balas. Fabricante F. J. Oliveira, Lisboa 1900.

 

Casco de montar de traje de amazona, pertencente à rainha Dona Amélia.

 

Par de luvas de pelica branca com punho alto e quatro botões.

 

Pingalim com haste e bastão de couro entrançado.

 

Cocheiro -Mor da Casa Real (fardamento), século XIX, libré de gala à inglesa.

 

Moço de Tábua da Casa Real (fardamento), século XIX, libré de gala à inglesa.

 

Sota da Casa Real (fardamento), século XIX, libré de gala à inglesa.