Museu Nacional dos Coches

Glossário


Fétone (Phaeton)

A designação Phaeton tem origem na mitologia grega em que Phaeton filho do deus – sol Helios, conduzia o carro de seu pai. Os primeiros carros apareceram no fim do século XVIII e existem grande número de modelos diferentes. No essencial é um carro de quatro rodas, puxado por uma parelha de cavalos e destinado a ser conduzido pelo seu proprietário. É uma viatura de campo ou cidade. Tem a caixa aberta, bancos paralelos aos eixos, sendo o banco principal, do condutor, provido de capota. Atrás um banco mais pequeno para levar o lacaio que segurava os cavalos enquanto o proprietário descia.

Landau

Criado na cidade de Landau, na Alemanha, este tipo de carro torna-se uma viatura procurada pela sua elegância e pela possibilidade de ser utilizada com bom ou mau tempo. A sua utilização começa no fim do século XVIII mas foi no século XIX que se expandiu e generalizou. Viatura de aparato, tem uma caixa com quatro lugares, frente a frente e duas capotas de couro rebatíveis que se podem baixar completamente ou reunir em cima, deixando o espaço para as portas e janelas, estas têm vidros de baixar de ambos os lados. Carro de grande cerimónia muito usado nas Cortes Europeias e por Presidentes da República. Foram fabricados veículos mais pequenos designados por LANDAULET ou DEMILANDAU.

Liteira

Tipo de transporte sem rodas, descendente direto da Letícia romana, permitia deslocações cómodas e rápidas quer nas ruas estreitas das cidades quer em longas distâncias, por caminhos sinuosos. Caixa de dois lugares, aberta segundo modelo italiano ou fechada para os climas frios, era puxada por mulas que se encaixavam nos varais laterais. A grande utilização das liteiras e o luxo que alcançaram, obrigaram os reis a regulamentar a sua utilização fazendo depender o seu uso da obtenção de uma licença ou do exercício de uma atividade profissional que exigisse constantes deslocações, caso dos Padres, Médicos ou Juízes.

Mala-Posta

Viatura destinada ao transporte oficial do correio, em compartimento próprio mas que também transportava passageiros e bagagens. Existiram carruagens com lugares interiores para passageiros e carruagens com lugares interiores e exteriores para viajantes e bagagens podendo levar até nove passageiros. A introdução da Mala Posta foi feita em 1798 no percurso Lisboa-Coimbra (com duração de quarenta horas) e só em 1855 foi extendido até ao Porto. Neste período o seu funcionamento sofreu várias interrupções. No sul existiu de 1830-1863 um percurso que ligava Aldeia Galega (Montijo) a Badajoz (duração de 6 dias). Em Portugal o desenvolvimento do serviço da Mala-Posta esteve ligado à existência e estado de operacionalidade das estradas e o seu desaparecimento deveu-se à introdução do Caminho-de-Ferro, principalmente na zona litoral. Algumas carruagens foram compradas por particulares para serem utilizadas em viagens longas, passeios no campo ou caçadas.

Milord

Viatura nascida em Inglaterra no século XIX. É um carro de quatro rodas, muito confortável para dois passageiros, com um banco suplementar à frente que pode levar mais dois, com a caixa coberta por uma capota de baixar e levantar e munido de boleia. É uma viatura para bom tempo e pequenos passeios. Este carro usou-se muito em Portugal como carro de aluguer e ainda hoje está ao serviço dos turistas em Sintra.